ESTUPRO VIRTUAL



ESTUPRO VIRTUAL

A Synapse resolveu trazer um assunto polêmico para a pauta dessa semana: estupro virtual!

Se você pensava que isso era impossível, nós viemos contar que é possível e é crime previsto na legislação brasileira.

Mudanças no código penal definem estupro como “constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso”.

Na lei anterior entendia-se como estupro a conjunção carnal (cópula pênis-vagina) . Devido a  mudança na lei, muitas pessoas ainda estranham esse tipo de crime virtual e não entendem.

O primeiro caso de estupro virtual registrado no Brasil aconteceu em Teresina- Piauí. O agressor se apresentou de forma anônima a vítima e a obrigou a enviar vídeos com contudo sexual para não publicar fotos íntimas dela na internet.

estupro virtual

A vítima denunciou o agressor a polícia e, após investigações, foi descoberto que se tratava do ex namorado da mesma.

Durante as investigações a polícia encontrou ainda fotos íntimas de outras mulheres e está averiguando se configuram mais crimes.

NOVO CASO

Essa semana um novo caso foi atenção da mídia. O estudante de medicina, Andrio Coletto Bozetto, foi condenado a mais de 14 anos por estupro virtual de vulnerável. Além disso Andrio ainda armazenava pornografia infantil em seu computador.

A investigação do caso já se estendia desde 2017, quando o pai de um menino de 10 anos havia denunciado o estudante por trocar mensagens com conteúdo sexual com seu filho.

Apesar de se tratarem de decisões inéditas em nosso país, esse tipo de entendimento da justiça tem sido bastante elogiado.

As evoluções no estilo de vida e o progresso da tecnologia são constantes e já era aguardado que houvesse mudança nas leis para compreender os novos delitos virtuais e evitar brechas. É notável que a justiça comece a acompanhar crimes na internet e regulamente questões como essa a fim de impedir a impunidade.

E aí, concorda com a alteração do código para abranger também os estupros virtuais?

Conta pra gente da sua opinião!

 

Para ler mais notícias como essa acesse BLOG SYNAPSE.

Compartilhar


Faça um diagnóstico gratuito!